Domingo, 30 de Junho de 2013

..."A geração que hoje conta entre quarenta e cinquenta anos de idade terá sido, talvez, a mais maltratada, abusada e condicionada do longo século XX português. Persiste nesta gente um quase medo reverencial pelos lugares-comuns da cartilha marxista. Por vezes, falando com indivíduos que se consideram abertos ao mundo, esbarro com esse enquistamento, essa alimentação à força, esse abuso de confiança que tratou de os impedir da saudável procura da liberdade, apanágio dos jovens. Gente do PS, do PSD e até do CDS não consegue montar o discurso, estabelecer um racional, encadear argumentos sem que assomem ressonâncias dessas longas sessões de doutrinação - que duravam um ano lectivo -  e que os forçavam a pensar ao serviço de um partido político, de uma ideologia arcaica, simplificadora e totalitária. Muito daquilo que continuamos a ouvir nas longas como inúteis explicações para a crise presente - um concatenar de banalidades santificadas pelos queixumes do "social" - carrega o fantasma dessa "visão do mundo" (pelintra, odiosa, invejosa) que os comunistas e seus companheiros de viagem semearam sem oposição ao longo daquela terrível década em que a escola foi, para eles, o agente de destruição da liberdade."

 De M.C.B.



publicado por monge silésio às 22:15
 
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
29