Domingo, 25 de Novembro de 2012

 

 

Um livro fácil de leitura, soberbo na narrativa.

Os momentos de tempo. Perspectivas justapostas.

"

(...)

Nicolau Manuel pegou na arma e apontou-a à cabeça de Amadeu Castelo -a mão não lhe tremeu. O alfaiate não se deixou levar pelo abalo que sentiu nos rins e continuou a falar.

- Homem, não sei que trapalhadas lhe prepararam, nem por que carga de água, mas dou-lhe a minha palavra de honra que não tive nada a ver com o sucedido.

- Mas com certeza lhe deu um jeito dos diabos o caminho livre para fazer a corte à Graça.

- Isso veio depois, homem. (...)

(...)

(...) A mentira não é o pior inimigo da verdade. A dúvida é que é. É a incerteza que arruína tudo, criando buracos nos quais existe espaço para todas as verdades, possíveis e aparentes. É esta a maldição da racional mente humana e da sua dita imaginação pródiga, capaz de promover todas as possibilidades para justificar um acontecimento, mesmo os maiores devaneios. (...)"   p. 304-305

 

Ed. D. Quixote

ISBN 978- 972- 20- 4503- 2



publicado por monge silésio às 21:50
 
Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

16
17

18
19
21
24

26
27
28