Segunda-feira, 30 de Abril de 2012

Numa entrevista ao "i", Maria Filomena Mónica fala de forma exemplar do debate em Portugal:

 

"As pessoas debatem tudo em termos pessoais, não são treinadas para organizar um pensamento racional, dedutivo, calmo. Isto treina-se na escola desde pequeninos. Interrompem-se todos, tudo muito emocional. E os portugueses não são bons a debater também porque acham que há sempre interesses ocultos por trás. Se disser que não gosto de futebol, vão pensar “Ah, isto deve ser porque ela tinha um pai que era futebolista” ou “Ela está ligada a um clube”.

 

Acrescente-se:

Se se é liberal, ...é "rico"; se defende isto ou aquilo, é porque tem "interesse" no "isto" ou no "aquilo"...enfim.

 

Só faltaria acrescentar que é assim... porque falta conhecimento factual, antes revelam necessidade de conhecimento "pessoal". Mesmo neste campo, confundem o-pessoal-necessário-ao-discurso e o pessoal-necessário-ao-espaço-público. 

 

Na verdade, o português não sabe o que é o espaço público ... e não sabe porque não se esforça por conhecer, estudar, meditar ...em vez disso julga, julga saber, julga saber o que sabem os outros...Não há texto, há pretexto. Há opinião em vez de explicação.

 

 



publicado por monge silésio às 12:05
Sexta-feira, 20 de Abril de 2012

1. Erro de comunicação. Otelo Saraiva de Carvalho continua a ser sujeito de notícias. Para além do dislate irrelevante do casamento e do concubinato, a que a imprensa define como bigamia (!?), declara: "Se soubesse o que sei hoje, não tinha feito a revolução", "Faz falta um Salazar". Quanto a convicções estamos falados.

 

2. Erro de comunicação. A leitura dos relatórios da UE e do FMI, recentemente divulgados, relativos ao 3º exame da implementação do PAEF, não deixa quaisquer dúvidas quanto ao que nos cabe fazer nos tempos mais próximos: tudo menos deixar derrapar a despesa pública; é absolutamente evidente que qualquer recuo no processo de consolidação orçamental representará a bancarrota, o caos organizacional-político e social. O propalado "crescimento económico" de alguns comentadores e candidatos ao coreto é hilariante. A voltar ao modelo "cáinesiano" do centrão "xuxial" o qual consiste em  “empurrar” a economia com o orçamento, a falência é imediata.

 

3.Erro de comunicação. As gorduras são afinal tarefas do Estado, aquelas que imaginamos adquiridas : prestações sociais, autarquias, empresas públicas, educação, saúde.

 

4. Erro de comunicação. Resulta da mais básica lei da economia que a queda do preço de um bem/serviço causa um aumento da respetiva procura. A redução das indemnizações por despedimento é uma medida de elementar justiça social, que deveria ser aplaudida por todos os dizem bater-se pelos mais desfavorecidos. Até agora, o bloqueio da legislação laboral deu fraudes e programas de emprego (últimos 10 anos: mais de 150 programas). Frequentemente, a solução passa pela prestação avulsa de serviços, a recibos verdes, sem qualquer seguro ou protecção, num esquema de grande precariedade. Outra alternativa é o desemprego e a entrega a uma vida inútil e de dependência, sustentada pr contribuintes.

 

5. Erro de comunicação. Não se digam datas. Repete-se: não há dinheiro, ...e há menos contribuintes. E muito depende de lá ...fora.

6.Serão só erros de comunicação, ou algo mais? Pois. O mesmo.

 

7. Substância: PPP´s? ... e em vez de entreter com tretas de enriquecimentos sem prova, e fumos em casa e no carro, ...autarquias? ...Justiça ? Segurança Nacional ?

 

8. Aterrador. Alguns indisponibilizaram-se para o Tribunal Constitucional...Meditar.

 

9. Aterrador. Índia junta-se ao núcleo duro dos países com misseis nucleares intercontinentais. Pequim é atingível. Meditar.



publicado por monge silésio às 01:44
Terça-feira, 17 de Abril de 2012

1. O Estado Social nasceu de um desejo de finitude. Teremos tudo no nosso tempo. Agora ... agora torrou-se o dinheiro, não se criou riqueza, ...ardeu. Durou no Ocidente : 67 anos (1945-2012). Reformou-se sem cheta.

 

2. O Ocidente tem de diminuír de rendimentos ou criar riqueza acrescida. Há uns meses atrás, recebo a resposta  "catastrofista", a "minha filha não vai ganhar o que ganham os africanos": Angola : 4º país das nossas exportações.

 

3. E se o "estado social" reduzir-se à Segurança Nacional e à Justiça? Ressuscitará...para não repetir as facadas, "festas", "políticas pás pexoas".



publicado por monge silésio às 15:10
Terça-feira, 17 de Abril de 2012

Os nossos PRODUTORES têm razão :...os preços mostravam. Mas...e mas...

Já agora para sabermos do que está em causa há 12 anos:

 

Artigo 4º da Secção C sob a epígrafe "Gaiolas melhoradas":
1 - As gaiolas melhoradas devem obedecer aos seguintes requisitos:

a) Dispor de pelo menos 750 cm2 de superfície de gaiola por animal, dos quais 600 cm2 sejam de superfície utilizável, e cuja superfície total não possa ser inferior a 2000 cm2;
b) Dispor de uma altura mínima da gaiola para além da altura sobre a superfície utilizável de 20 cm em qualquer dos pontos;
c) Possuir um ninho;
d) Dispor de material de cama que permita às galinhas debicar e esgravatar;
e) Possuir poleiros adequados com um espaço de, pelo menos, 15 cm por galinha;
f) Ter um comedouro que possa ser utilizado sem restrições e cujo comprimento deva ser de, pelo menos, 12 cm multiplicado pelo número de galinhas na gaiola;
g) Possuir um sistema de abeberamento adequado que tenha em conta, designadamente, a dimensão do grupo e, se forem utilizados bebedouros em série, deve haver, pelo menos, duas pipetas ao alcance de cada galinha;
h) Dispor de dispositivos de desgaste de garras;
i) Ter corredores com uma largura mínima de 90 cm entre os blocos de gaiolas e um espaço de, pelo menos, 35 cm entre o chão do edifício e as gaiolas dos blocos inferiores de forma a facilitar a inspecção, instalação e retirada das aves.



publicado por monge silésio às 14:46
Terça-feira, 17 de Abril de 2012

1.- Vi Fátima Campos Ferreira, mais uma vez, com os seus lamentos "mas as pessoas não sabem...". Mas não sabem o quê? Divertir-se, andar à borla, e fazer batota desde o imposto, a multa de trânsito, ou a coisa que não pagam, é o quê? Eleger o simpático, o mais risonho, ou o que dentro dos dois do mesmo está "à mão", é o quê? Gostarem de uma carreira politica, sem estudarem, fazer prospeção por uma agremiação de clientela política, é o quê? Meter-se com um tiranete qualquer para se licenciar a obrazita, é o quê?

 

2.-As pessoas não têm o dinheiro no cofre estatal daquilo que descontam. Óbvio. Informem-se. Para além dos locais virtuais, há livros, ...leiam. É ler. "Não são informadas", ...e o empreendorismo do conhecimento, pá?

 

3.-"Mas "as pessoas acham", se acham podem achar mal...certo? O "achar" não é critério de aferição de validade comunicativa, nem um imperativo. "As pessoas acham..." que podiam ter escola de borla, saúde de borla, estradas de borla, justiça de borla...Pois, foi esse "achar" que nos levou até aqui, ao "acharem" que o tiranete x ou y governava melhor por ...dar mais...para 4 anos. Coreto e rebuçados são objetos do achar, mas já não é o esforçarem-se por serem ...ricas.

 

4.-Mas é "um direito"! ...Pois é, só que a política começa por saber se há dinheiro, e onde arranjá-lo. Uma maneira de acabar com o Estado Social é acabar com o dinheiro por exemplo. Pois direitos são...custos. A um custo, tem de se arranjar um correspetivo...rendimento.

 

5.E pronto, mais uma vez se prova que não se vai a lado nenhum. Com a dificuldade notória em lidar com a matemática, os jogos de intenções (em vez de factos, conhecimentos) e os aplausos à twilight zone resta-nos... ver os próximos meses em rota de decadência.  Confesso que começo a ficar farto da tirania da mediocridade que "acha" que tem o direito a falar sobre tudo e "cálquer-coisinha".



publicado por monge silésio às 12:16
Domingo, 15 de Abril de 2012

 

1. A Europa acabou.

 

2. Há 4 Europas.

 

3. A do Mercado Único, a da Moeda, a de Schengen e a que esta semana se votou.

 

4. Quando se gasta demais com os “socialismos” de direita e de esquerda a darem o ambiente…isto acaba mal.

 

5. Mas há festa: em Angola, no Brasil, na Índia, Turquia, Indonésia, …os camaradas de lá estão felizes com a melhoria das condições de vida.

 



publicado por monge silésio às 13:32
Domingo, 15 de Abril de 2012

Até parece que só houve derrapagem no “Parque Escolar”…; há outras “festas” que dezenas foram assistir e bateram palmas ao "corte da fita". Chama-se política para as pessoas.



publicado por monge silésio às 13:20
Domingo, 15 de Abril de 2012

1. Nada na Administração é sigiloso quanto a contas, porque é o contribuinte que a paga, a não ser que hajam os superiores interesses da Defesa territorial ou segredo do Estado. Também na Justiça, há segredos, por razões conhecidas e legítimas, mas ou se tornam públicos com o tempo ou, no caso probatório-judicial, quebram-se: é o caso do segredo profissional ou o sigilo bancário. O único segredo que não pode ser quebrado por ninguém (por qualquer meio) é o segredo religioso…por considerar-se a liberdade de consciência, assunto da Pessoa Humana no seu “ser existente”. Eis em síntese o regime público do segredo.

 

2. Só uma sociedade civil paralítica (que rodeia o Estado) e que aceita acriticamente os desvarios do Poder Politico (seja autárquico ou central) ficará espantada por uma associação de cidadãos ter pedido contas. Só por fulanização se entendem as críticas. É não perceber o que é o exercício do poder num estado democrático. É não perceber o Primado da Lei.

 

3. Um Governo que decide à socapa matéria que contende com o projeto de vida de cidadãos é um governo que ignora o processo legislativo, e ignora o contrato de confiança com a sociedade civil de que esse processo legislativo é efeito. É não perceber o Primado da Lei. Mais, materialmente, na ânsia de uns trocos, numa estrutura que a sociedade civil apoiou (a segurança social impõe que haja gente que aufira…rendimentos), decide a curto prazo, pois a despesa com a reforma virá …daqui a pouco...

 

4. Também se retira que afinal as “gorduras” não estavam nos tostões (face aos montantes de dívida pública) que gestores, motoristas, ar condicionado, etc. auferiam. Quem assim pensasse, ou exprimia inveja (caso católico fosse, beneficiaria do …segredo da confissão), ou não tem a noção do que …é despesa pública (direitos). É na saúde, é na educação, nas autarquias, empresas públicas, e nas prestações sociais que está o grosso da constituída dívida. E essa dívida tem de ser paga…sob pena de …ruína. É o preço de haver poucos ricos, de não se gostar de ser rico por meios legítimos…e gostar de receber a baixo custo. É não perceber o Primado da Lei na gestão de atribuição de direitos. Direitos são custos…e a terra gira à volta do Sol.



publicado por monge silésio às 13:12
Quarta-feira, 11 de Abril de 2012

1.-A partir da estabilização política - ou seja, a partir da consolidação do poder político-civil, constitucional e legitimado pelo voto livre e democrático, com destaque para os primórdios de Cavaco, durante o último quarto de século foram os portugueses convencidos que o Estado deles cuidaria quando fossem velhinhos e indefesos. Nada de errado,... naquelas circunstâncias, no Ocidente era o missal. Era o tempo da emergência dos direitos...alguém os pagaria, diremos agora.

 

2.-Para tal desiderato protetor, era preciso reformá-los o mais cedo possível para ainda gozarem a vida - o que era da maior justiça... social -, de preferência por volta dos 55 anos ou ao fim de 30 anos de descontos. Assim, ainda poderiam fruir do "sonho" dos amplos direitos sociais, mais ou menos como se segue: habitarem em casa própria, comerem, beberem, passearem e viajarem, tudo isto vendo a sua conta bancária creditada 14 vezes ao ano, sem para tal trabalharem, ou seja, estando reformados ou aposentados.

 

3.-Este modelo - sem pés nem cabeça como a realidade veio demonstrar - agradou aos ouvidos dos portugueses. Habituados a entregarem as suas vidas e destinos a "eles" - aos bacharéis de Coimbra, à Igreja Católica, ao Estado Novo, aos militares do MFA, ao "Partido" e ao Estado na versão "social-cá-quer-coisinha"  - acreditaram piamente que o paraíso estava, aqui e agora, ao virar da esquina e ao alcance da mão. Votaram nos que lhes davam mais, seja o subsídio seja o coreto que o tiranete local lhes prometia.

 

4.-Assim, cada um tratou de cuidar da sua vidinha e de resolver o problema de fundo da mesma: ganhá-la fazendo o mínimo possível.

 

 

 



publicado por monge silésio às 16:58
Terça-feira, 10 de Abril de 2012

1.-Finalmente, o nosso primeiro confessou que, talvez, em 2015 os ditos cujos subsídios comecem a ser gradualmente restituídos – 20%, segundo o Expresso – ou talvez não, podendo rendimento total passar a ser distribuído por 12 meses. Esclarecidos?Não liguem. Nada disto é para levar a sério: ninguém sabe como é que estará a UE em 2015 (a manter-se a despesa social...estará pior); Para a semana, o PM de Portugal vai a Bruxelas assinar um pacto fiscal, no qual se oficializa o fim de quaisquer veleidades em termos de soberania orçamental.Ponto. Autarcas, Empresários Públicos, Ministros falarão do que quiserem menos em gastar dinheiro do contribuinte.

 

2.-Por falar em contas...Os responsáveis da Zona Euro decidiram que o novo Mecanismo Europeu de Estabilidade, que substituirá o Fundo Europeu de Estabilização Financeira em Julho próximo, seja dotado de uns  500 mil milhões de euros – um montante próximo do que Espanha necessitará, por si só, para se financiar até 2015. E se Grécia, Irlanda ou Portugal precisarem de auxílio financeiro adicional?!... Ou pior: e se Espanha tiver que ser resgatada e arrastar consigo a Itália (e...a França?), o que elevaria o montante total necessário para mais de 2,3 b...de euros durante os próximos três anos?! Alguns perguntarão: quando se comportarão os decisores políticos europeus como verdadeiros líderes?!...resposta que ninguém gosta: quando houver dinheiro, pois foi com dinheiro que Kohl e Mitterand foram líderes, ...mas há mais mundo...muito mais mundo...onde há festa...muita festa: três quintos da Humanidade tem carga fiscal mínima, e cada um ...dá o seu melhor, pagando a sua educação ou a sua pensão...auferindo ao ano a dividir por 12...

 



publicado por monge silésio às 12:12
 
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13
14

16
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29